Espírito Santo amplia quarta dose contra a Covid-19 para a população com mais de 30 anos e grupos prioritários

Postado em 20 de junho de 2022


Espírito Santo amplia quarta dose contra a Covid-19 para a população com mais de 30 anos e grupos prioritários 1
Covid-19: ampliação da vacinação para população com mais de 30 anos e pessoas pertencentes a determinados grupos prioritários foi anunciada pelo governador Casagrande no último sábado. Imagem/es.gov

 

O Governo do Espírito Santo amplia a partir desta segunda-feira (20), a segunda dose de reforço ou quarta dose (D4) contra a Covid-19 para a população com mais de 30 anos, além pessoas pertencentes a determinados grupos prioritários. É válido, também em todo território capixaba, a segunda dose de reforço ou quinta dose (D5) à população imunocomprometida.

O anúncio foi feito pelo governador Renato Casagrande, no último sábado (18), em sua rede social. “Iniciaremos na 2ª a D4 para 30+ e para todos os trabalhadores da educação, segurança, transporte, sistema prisional, pessoas com comorbidade e privadas de liberdade que tenham 18+. Doses distribuídas hoje à tarde para as regionais de saúde.  Viva o SUS, vacine-se!”, informou.

A Secretaria da Saúde (Sesa) realizou, ainda no final de semana, a distribuição de novas doses às Redes de Frio das Regionais de Saúde e aos municípios. Além disso, a Sesa também solicitou novas doses ao Ministério da Saúde.

De acordo com a Nota Técnica Nº19 2022 Sesa SSVS/GEVS/PEI, publicada nesse domingo (19), a recomendação é uma estratégia estadual de enfrentamento à Covid-19 e pautada considerando o cenário epidemiológico da pandemia da Covid-19, a possível sazonalidade do vírus, além da avaliação do esquema vacinal.

 

As novas definições para imunização contra a Covid-19 no Espírito Santo

A segunda dose de reforço (D4) passa a ser válida a toda população com 30 anos ou mais, após quatro meses de intervalo após a aplicação da primeira dose de reforço (D3), sendo feita preferencialmente com vacinas de plataforma de vetor viral (Janssen ou AstraZeneca), independentemente do imunizante aplicado anteriormente, com exceção às gestantes e puérperas.

Além disso, a população acima dos 18 anos pertencente aos grupos prioritários também poderá receber a segunda dose de reforço (D4). São grupos prioritários:  trabalhadores da saúde, povos indígenas, trabalhadores da educação, caminhoneiros, trabalhadores de Transporte Coletivo Rodoviário de Passageiro Urbano e de Longo curso, trabalhadores portuários, Forças de Segurança e Salvamento, Forças Armadas (ativos), funcionários do Sistema de Provação de Liberdade, população privada de liberdade, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; e gestantes e puérperas a partir de 18 anos.

Já para a população imunocomprometidas (não gestantes e puérperas) entre 18 a 59 anos poderão receber a segunda dose de reforço (D5) com intervalo de quatro meses após a primeira dose de reforço (D4). Para pessoas imunocomprometidas com 60 anos ou mais, a segunda dose de reforço (D5) deverá ser feita após três meses de intervalo da primeira dose de reforço (D4). Os grupos poderão receber, preferencialmente, vacinas de plataforma de vetor viral (Janssen ou AstraZeneca).

Para gestantes e puérperas imunocomprometidas, a segunda dose de reforço (D5) será feita preferencialmente com Pfizer e, em caso de não disponibilidade, utilizar a Coronavac, obedecendo o intervalo de quatro meses após a primeira dose de reforço (D4).

 

Esquemas com a vacina Janssen

Outra novidade trazida com a publicação da Nota Técnica Nº19/2022, é a estratégia estadual referente aos esquemas que receberem a Janssen. Segundo o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, a definição atualizada vai ao encontro de estudos e determinações científicas.

“Os estudos apontam que a vacina da Janssen, assim como as demais vacinas disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS) à população contra a Covid-19, apresenta a redução da resposta imunológica, após cerca de três a quatro meses de aplicação, além do escape de variantes. Diante disso, e sob a orientação do corpo científico que assessora a Secretaria da Saúde, definimos estabelecer a segunda dose da Janssen, a D2”, explicou.

Os esquemas que receberam a primeira dose de reforço anteriormente a publicação desta Nota Técnica, serão automaticamente definidas como D2 e a população deverá ficar atenta aos intervalos de aplicação para as próximas doses.

Assim, quem recebeu Janssen, receberá a D2 de forma homóloga ou heteróloga, após oito semanas da primeira aplicação. A primeira dose de reforço (D3) será feita após quatro meses de intervalo entre a D2, e a segunda dose de reforço (D4), também após quatro meses de intervalo entre a D3. As doses de reforço poderão ser feitas com AstraZeneca ou Janssen.

 


Deixe sua Opinião:

Loading...
error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe