Seu portal de Notícias do Norte

Governo do Estado firma contrato com BNDES para desestatização da ES Gás

Governador Renato Casagrande durante solenidade realizada nesta sexta-feira (24).

 

O Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento (Sectides), e a Vibra Energia (antiga BR Distribuidora) firmaram, nesta sexta-feira (24), o contrato de estruturação da desestatização da Companhia de Gás do Espírito Santo (ES Gás) com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio da venda em conjunto das ações na companhia. A assinatura foi realizada em solenidade no Palácio Anchieta, em Vitória.

A ES Gás é uma empresa de economia mista em que o Estado do Espírito Santo detém 51% do capital votante, tendo como sócia a Vibra Energia com os demais 49%. A contratação formalizada nesta data contempla a realização de estudos para a elaboração da modelagem de venda das ações da ES Gás, que, quando concluída, será oportunamente submetida à deliberação do Conselho de Administração da Vibra Energia e ao Governo do Estado.

“Esse é um momento importante para o Espírito Santo e para o Brasil. Com recursos do petróleo, que é uma riqueza finita, criamos o Fundo Soberano para investir no futuro do Estado e também atrair empresas e gerar oportunidades. Nossa ação é para que essa empresa tenha atuação dentro e fora do Brasil e que o gás seja instrumento do nosso desenvolvimento, sendo uma energia de transição para desenvolver nossa base industrial”, afirmou o governador Renato Casagrande.

O secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, explicou que a desestatização da ES Gás compõe o Plano Espírito Santo – Convivência Consciente, com foco na retomada da economia e atração de novos investimentos. “A ES Gás é uma empresa importante para nós e que surgiu nos moldes do Novo Mercado de Gás. A decisão sobre a desestatização foi bem estudada pelo Governo do Estado e temos a certeza de que será um caminho para a concretização de um conjunto de investimentos, por meio de uma empresa privada”, destacou.

“A desestatização será importante para dotar a concessionária de agilidade em suas atividades, conferindo competitividade em suas ações. Já temos um arcabouço legal consistente, conferido pela Nova Lei do Gás, pela Lei Estadual do Mercado Livre de Gás e pelo moderno contrato de concessão da ES Gás. Este marco legal, se somado a uma empresa ágil e competitiva, poderá ajudar muito o Estado na atração de investimentos. Vale lembrar que estamos cercados de gás, não só no Espírito Santo, como também em outros estados, como o Rio de Janeiro e Bahia, e temos um mercado ávido por esta fonte energética”, avaliou o diretor-presidente da ES Gás, Heber Resende.

Resende frisou ainda que a empresa terá uma atuação mais competitiva, que permitirá explorar todas as possibilidades de levar o gás produzido para qualquer lugar, especialmente nos estados limítrofes, por um gasoduto que perpassa o País inteiro, e a ambientes carentes deste insumo, como Minas Gerais. Fora outras possibilidades, segundo ele, que se encontram aquecidas, como o mercado de GNL (gás natural liquefeito).

“Portanto, o Espírito Santo dá um passo importante para a competitividade do Estado e da concessionária, ao desestatizá-la, permitindo que sua atuação se volte para o atendimento a este mercado pujante, ao ter mais agilidade em suas aquisições e atividades internas, hoje comprometidas com o atendimento legal exigido de uma estatal. Em suma, será um processo extremamente benéfico ao Estado e aos capixabas”, acrescentou o diretor-presidente da ES Gás.

“A privatização da ES Gás está em linha com a gestão ativa de portfólio que a Vibra vem realizando desde sua privatização, em 2019. Continuamos focados em nossa transformação cultural e no reposicionamento como uma empresa de energia que vai participar ativamente da transição rumo à economia de baixo carbono. Para a população capixaba, certamente a operação irá trazer mais investimentos, empregos, melhorias na qualidade do serviço e avanços na universalização”, afirmou o presidente da Vibra Energia, Wilson Ferreira Júnior.

ES Gás

Constituída pela Lei Ordinária N° 10.955/2018, a ES Gás é uma empresa de economia mista em que o Estado do Espírito Santo detém 51% do capital votante, tendo como sócia a Vibra Energia (antiga BR Distribuidora), com os demais 49%.

No Espírito Santo, é a concessionária responsável pela distribuição do gás natural canalizado, regulada pelo órgão estadual, a Agência de Regulação de Serviços Públicos do Espírito Santo (ARSP). A ES Gás atua nos segmentos residencial, comercial, industrial, automotivo, de climatização, cogeração e termoelétrico, totalizando mais de 60 mil unidades consumidoras.

Comentários
Loading...
error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe