er

Motorista de aplicativo de Linhares forja o próprio sequestro e pede R$ 10 mil à própria família para resgate

Postado em 1 de novembro de 2022


Motorista de aplicativo de Linhares forja o próprio sequestro e pede R$ 10 mil à própria família para resgate. A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio da Delegacia Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Linhares, elucidou um crime de extorsão mediante sequestro, que ocorreu na última terça-feira (25), contra um motorista de aplicativo de 47 anos.

Motorista de aplicativo de Linhares forja o próprio sequestro e pede R$ 10 mil à própria família para resgate

O titular da 16ª Delegacia Regional de Linhares, delegado Fabrício Luciano, relatou que a família do motorista procurou a Polícia Civil e informou que o motorista havia sido sequestrado e os suspeitos estariam exigindo R$ 10 mil para libertar a vítima com vida.

Motorista de aplicativo de Linhares forja o próprio sequestro e pede R$ 10 mil à própria família para resgate

Motorista de aplicativo de Linhares forja o próprio sequestro e pede R$ 10 mil à própria família para resgate

“Os supostos sequestradores também exigiram que a família, de forma alguma, procurasse a Polícia para comunicar o crime”, disse o delegado. Ele acrescentou que os supostos sequestradores teriam abandonado o veículo da vítima com a chave no município vizinho, em Aracruz.

“Durante as investigações, a equipe de Linhares detectou que a vítima estava mentindo e tentando extorquir dinheiro da família. Desfeita a mentira, a suposta vítima se apresentou na última sexta-feira (28), na Polícia Civil de Linhares, e confessou que realmente inventou toda a história. Disse que sofreu um lapso mental e que não se lembrava de muita coisa”, contou o delegado Fabrício Lucindo.

O titular da Delegacia Especializada de Investigações Criminais de Linhares, delegado Romel Pio Jr, está analisando o caso para realizar o indiciamento. “O homem pode responder por tentativa de extorsão, com pena de 4 a 10 anos de prisão, ou por estelionato, com pena de 1 a 5 anos de prisão. O suspeito responde em liberdade e o inquérito será concluído e encaminhado à Justiça”, informou.

Texto: Olga Samara

Deixe sua Opinião:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe