error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe

Mulher que investiu dinheiro do Bolsa Família no Tigrinho é enganada após ganhar R$ 95 mil


Uma mulher que depende do benefício do Bolsa Família teve uma experiência frustrante ao ganhar um prêmio de R$ 95 mil na plataforma de jogos Tigrinho e não conseguir receber o valor conquistado. A vencedora, identificada apenas como Lúcia (nome fictício), de 28 anos, decidiu arriscar e investir parte de seu dinheiro do Bolsa Família na plataforma do jogo Tigrinho, após ser incentivada por uma influenciadora digital. No entanto, ao tentar sacar o prêmio, Lúcia se deparou com um obstáculo inesperado.

Mulher que investiu dinheiro do Bolsa Família no Tigrinho

Mulher que investiu dinheiro do Bolsa Família no Tigrinho

A plataforma Rico33.com informou a Lúcia que houve um “problema técnico” que impossibilitava o saque do prêmio conquistado. Não foram fornecidos detalhes sobre a natureza específica desse problema. Lúcia entrou em contato com a influenciadora que a havia indicado para a plataforma em busca de ajuda, mas a influenciadora alegou não ter qualquer responsabilidade sobre a situação, afirmando que apenas compartilhou sua experiência pessoal com o jogo.

Sentindo-se lesada, Lúcia decidiu tomar medidas legais e está movendo uma ação judicial para reaver o prêmio que ganhou. Ela argumenta que, independentemente de sua situação financeira, o valor conquistado é seu por direito e deveria ser disponibilizado para ela.

Esse caso levanta questões sobre a segurança e a integridade das plataformas de jogos online, especialmente quando envolvem pessoas em situação de vulnerabilidade financeira. É fundamental garantir que os jogadores sejam tratados de forma justa e que os prêmios conquistados sejam pagos integralmente, independentemente de sua origem socioeconômica.

A expectativa é de que esse caso sirva como um alerta para a necessidade de maior regulamentação e fiscalização dessas plataformas, a fim de evitar situações semelhantes no futuro e proteger os direitos dos jogadores, especialmente daqueles que dependem de programas de assistência social, como o Bolsa Família.

“Estou profundamente desapontada com essa situação. Esse dinheiro faria uma enorme diferença na minha vida e na vida dos meus filhos. É um direito meu receber o prêmio que ganhei de forma justa”, enfatizou Lúcia.

error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe