Policial investigada por coagir vítima de assédio no ES é transferida para Nova Venécia

Postado em 29 de junho de 2019


A policial civil Raquel Margarida Rodrigues da Silva, que é investigada pela Corregedoria da corporação por tentar desencorajar e até coagir uma das mulheres que denunciaram o médico Alan Kardec Nunes dos Santos, de 54 anos, por assédio, foi transferida para Nova Venécia.

Policial investigada por coagir vítima de assédio no ES é transferida para Nova Venécia

Policial investigada por coagir vítima de assédio no ES é transferida para Nova Venécia

A informação foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (26), e a decisão foi assinada pelo delegado geral adjunto da Polícia Civil do Espírito Santo, Heli Schimittel, com justificativa de preservar a lisura da investigação.

Policial investigada por coagir vítima de assédio no ES é transferida para Nova Venécia 1A policial investigada foi transferida para a 17ª Delegacia Regional de Nova Venécia. Na situação denunciada pela TV Gazeta, a oficial chegou a ligar para a vítima para que ela não seguisse com a denúncia contra o cardiologista na Delegacia da Mulher de Vila Velha.

Segundo a vítima, em conversa com a TV Gazeta, a policial da Delegacia de Cobilândia, que não tem relação com a investigação do médico, ligou para ela questionando sobre o caso, sem saber que estava sendo gravada. “É a respeito de um boletim de ocorrência, quero saber se a senhora vai representar”, pergunta a policial, em trecho divulgado pela TV Gazeta.

Em outra parte, a policial tenta desencorajar a mulher a seguir com a denúncia. “Já teve três que desistiram. […] Acabou, morreu o assunto, ele já está trabalhando, ele já voltou a trabalhar”, disse.

Assustada, a dona de casa foi, no mesmo dia, à Corregedoria da Polícia Civil e denunciou o caso. Porém, a denúncia não surtiu muito efeito.

No dia seguinte, a policial voltou a ligar mas quem atendeu foi a filha da vítima, que confronta a policial. “Você é da delegacia de Cobilândia. Como que você pede a minha mãe para ela tirar uma ocorrência que ela fez na Delegacia da Mulher?”, questiona.

De acordo com a TV Gazeta, a dona de casa chegou a encontrar a policial na Delegacia de Cobilândia, em Vila Velha. Lá, ela percebeu que poderia estar sendo vítima de uma coação. “Ela falou que três pessoas tiraram (a denúncia). Eu, sozinha, não vou ficar no processo”, disse a mulher ao repórter André Falcão. Mesmo diante da situação, a dona de casa não retirou a denúncia, mas segue com medo do que pode acontecer.

“Como ela chegou até mim? Aí é que está o meu medo. Ou ela é amiga do médico, ou ela está ganhando alguma coisa, ou ela está tentando ganhar alguma coisa para coagir as vítimas”, disse a mulher à TV Gazeta.

Procurada pela TV Gazeta, a Polícia Civil informou, na ocasião, que o caso é de conhecimento da corregedoria, que recebeu uma denúncia formal e já iniciou as investigações para apurar as implicações administrativas e criminais ligadas ao fato. “Esclarecemos que a Policia Civil não compactua com atitudes dessa natureza, pois nosso dever com a população é investigar e cuidar para que crimes e transgressões não ocorram”, diz a nota.

Policial investigada por coagir vítima de assédio no ES é transferida para Nova Venécia

Policial investigada por coagir vítima de assédio no ES é transferida para Nova Venécia

O MÉDICO

O médico Alan Kardec Nunes dos Santos foi preso no dia 24 de maio por tentar beijar à força uma paciente, mas foi liberado no dia seguinte. No dia 28 do mesmo mês, outras duas vítimas do  cardiologista denunciaram novos casos de importunação sexual para a polícia.

O QUE DIZ O HOSPITAL

O hospital confirma que o médico Allan Kardec Nunes dos Santos continua afastado de suas funções. Reitera que irá aguardar a investigação da Policia para qualquer medida administrativa. Ressalta, ainda, que repudia veementemente qualquer ato que coloque em risco a integridade física e psicológica dos pacientes.

Gazetaonline

Deixe sua Opinião:

error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe