error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe

Ponto Belo completa 6 anos sem registros de assassinatos


Parece difícil de acreditar, mas é verdade: uma cidade do Espírito Santo está há 6 anos e 3 meses sem registrar assassinatos. Estamos falando de Ponto Belo, localizada na região Norte capixaba, que tem mantido um histórico impressionante de segurança. O último homicídio registrado na cidade ocorreu em 25 de março de 2017, na zona rural. Desde então, o município tem se destacado como um exemplo de paz e tranquilidade.

Ponto Belo completa 6 anos sem registros de assassinatos

Ponto Belo completa 6 anos sem registros de assassinatos. Foto aérea Ponto Belo

O delegado Eduardo Mota, titular da Delegacia de Polícia (DP) de Ponto Belo, atribui esse histórico notável à integração entre as forças policiais e a prefeitura, bem como à colaboração da população com denúncias e informações relevantes. Segundo Mota, essa parceria tem sido um dos pilares para a manutenção da segurança na cidade.

“A grande conquista de Ponto Belo está na integração entre as polícias e a prefeitura, e também na colaboração da população com informações”, destacou o delegado em entrevista. Ele ressaltou a importância das denúncias, que podem ser feitas anonimamente, no auxílio às investigações e na identificação de suspeitos.

Um exemplo recente da eficácia dessa colaboração ocorreu neste ano, quando um traficante conhecido em Vila Pavão, no Noroeste do Estado, fugiu do sistema prisional de Linhares e buscou refúgio em Ponto Belo. O indivíduo, que se vangloriava nas redes sociais com fotos de armas e drogas, foi rapidamente denunciado pela comunidade, resultando em sua captura em menos de três meses.

delegado Eduardo Mota

Delegado Eduardo Mota

Tráfico de drogas

Em relação ao tráfico de drogas, o delegado Mota admite que existem casos na cidade, mas ressalta que Ponto Belo não enfrenta o mesmo perfil de disputas entre facções criminosas como em outros locais. Essa ausência de rivalidades contribui para a baixa incidência de homicídios e para a manutenção da paz no município.

Além disso, a integração entre as polícias civil e militar tem sido fundamental para coibir a atuação de grupos criminosos em Ponto Belo. O major Manoel Gambarti, comandante da 19ª Companhia Independente da Polícia Militar, destacou a sintonia entre as instituições de segurança, incluindo a Polícia Civil, o Ministério Público e o Poder Judiciário. Essa colaboração permite a realização de ações conjuntas com agilidade e continuidade, fortalecendo a segurança da cidade.

Divisa com Minas Gerais e Bahia

Ponto Belo, por estar próxima das divisas com Minas Gerais e Bahia, enfrenta o desafio de evitar que criminosos utilizem o município como rota de fuga. Para combater essa situação, a Polícia Militar mantém um estreito contato com as forças de segurança dos estados vizinhos, compartilhando informações e experiências para uma atuação conjunta contra o crime.

Embora a ausência de assassinatos seja um feito notável, Ponto Belo ainda registra outros tipos de crimes, sendo o furto o mais comum. O policiamento nas áreas rurais foi reforçado, especialmente para combater os furtos a propriedades e de gado, que são ocorrências mais frequentes nessa região.

Mais sobre Ponto Belo

Segundo dados do Censo de 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Ponto Belo possui uma população de aproximadamente 6.497 pessoas. Apesar de não possuir uma delegacia de Polícia Civil na cidade, um imóvel está em processo de reforma para se tornar uma delegacia na sede do município, facilitando ainda mais o acesso aos serviços de segurança.

Ponto Belo serve como um exemplo inspirador de como a integração entre as forças policiais, a colaboração da comunidade e uma atuação efetiva do poder público podem contribuir para a manutenção da segurança e da tranquilidade em uma cidade, mesmo em meio a desafios regionais.


error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe