error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe

Projeto de pesquisa fortalece cadeia produtiva do alho na região serrana do ES


Projeto de pesquisa fortalece cadeia produtiva do alho na região serrana do ES 1
O projeto é coordenado no Espírito Santo pelo Incaper, pela pesquisadora especialista em melhoramento genético vegetal, Andréa Ferreira da Costa. Entre as ações do projeto está a recente distribuição de “alho-semente”, da variedade Amarante, livre de vírus, para agricultores familiares de Venda Nova do Imigrante, Santa Maria de Jetibá e Domingos Martins, organizada pelos escritórios locais do Incaper.

 

Um projeto de pesquisa e transferência de tecnologia entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) chegou para fortalecer a cadeia produtiva do alho e a agricultura familiar na região serrana do Espírito Santo.

O projeto é intitulado “Desenvolvimento da cadeia produtiva do alho e fortalecimento da agricultura familiar na Região Serrana do Espírito Santo pela introdução da tecnologia do alho-semente livre de vírus” e coordenado no Espírito Santo pelo Incaper, pela engenheira agrônoma e pesquisadora especialista em melhoramento genético vegetal, Andréa Ferreira da Costa.

O projeto contempla, ao todo, o estudo de 21 variedades de alhos, sendo 16 variedades de alho semi-nobre e cinco de alho nobre, que são cultivadas de formas diferentes, estudadas, testadas e depois repassadas aos produtores rurais.

Antes de chegar ao Espírito Santo, as plantas das variedades de alho estudadas passam por um processo de limpeza clonal em laboratório, garantindo a ausência de vírus. Após a limpeza, as plantas são colocadas em meio de cultura onde recebem nutrientes e hormônios para que possam crescer e se propagar, por meio de um processo delicado em laboratório de cultura de tecidos. Em seguida, são levadas para uma casa de vegetação onde completam o desenvolvimento.

Segundo Andrea Costa, os estudos experimentais são necessários para recomendar aos agricultores as variedades que produzem melhor em solo capixaba. A exemplo disso, no mês de março e no início de abril, agricultores dos municípios de Venda Nova do Imigrante, Santa Maria de Jetibá e Domingos Martins receberam, por meio dos escritórios locais do Incaper, “alho-semente” da variedade Amarante, que é livre de vírus.

A pesquisadora lembrou ainda que projeto está introduzindo cinco variedades de alho nobre, que é uma novidade no Estado. “A ideia é levar para o agricultor a técnica correta para produzir variedades de alho nobre, que é mais valorizado no mercado, por ter menor quantidade de dentes, sendo estes maiores”, disse Andrea Costa.

No final de abril, a Embrapa e o Incaper promoverão treinamento para a capacitação dos agricultores na produção de alho nobre. Atualmente, o Espírito Santo é o sétimo maior produtor de alho do País, com cerca de 1,6 mil toneladas plantadas em 154 hectares. A produção fica concentrada em municípios, como Santa Maria de Jetibá, Afonso Cláudio e Domingos Martins.


error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe