Sesa realiza capacitação em vigilância da toxoplasmose com ênfase na gestacional e congênita

Postado em 28 de agosto de 2019


Sesa realiza capacitação em vigilância da toxoplasmose com ênfase na gestacional e congênita 1
A CAPACITAÇÃO em Vigilância da Toxoplasmose com ênfase na gestacional e congênita segue nesta quarta-feira (28).

 

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) iniciou, nesta terça-feira (27), a primeira capacitação em vigilância da toxoplasmose com ênfase na gestacional e congênita. O evento segue nesta quarta-feira (28), no auditório da Faculdade Católica Salesiana, em Vitória.

A capacitação tem o objetivo de atualizar os técnicos da atenção primária e da vigilância epidemiológica dos municípios do Espírito Santo e conta com a participação da referência técnica estadual da toxoplasmose, Valéria Pim, e de referências nacionais como a presidente da Rede Brasileira de Pesquisa em Toxoplasmose (Rede Toxo), Lilian Bahia Oliveira; a nutricionista do Grupo Técnico de Vigilância e Doença Hídrica e Alimentar da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Rosalynd Moreira; a infectologista pediátrica e membro da Rede Toxo, Glaucia Manzam Queiros; e o oftalmologista e pesquisador da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Daniel Vitor Vasconcelos.

A toxoplasmose é uma doença infecciosa, transmitida por um protozoário. A capacitação acontece com ênfase nas versões gestacional e congênita da enfermidade, ou seja, quando a doença acomete gestantes e recém-nascidos infectados. O curso busca uniformizar conceitos, fluxos e metodologias nos serviços ofertados à população, além de preparar os profissionais no reconhecimento da doença, indicação de tratamento e na melhoria das ações de vigilância nos municípios, regionais e Estado.

Segundo Valéria Pim, a vigilância se faz importante para promover o planejamento e as melhores formas de intervir, uma vez que a doença pode, quando acometida durante a gestação, causar aborto espontâneo, óbito fetal, microcefalia e outras sequelas no recém-nascido. “A toxoplasmose quando não tratada na gestação, e se a infecção acontecer na gestação, passa para o feto e pode causar danos irreversíveis e muito sérios na criança”.

A presidente da Rede Toxo, Lilian Bahia, parabenizou o Estado pela iniciativa em trazer a discussão aos técnicos e servidores da saúde. “A importância desse encontro é o marco pela conscientização da ação contínua e educativa que o assunto precisa ter. Precisamos conversar, ter cuidado e entender sobre infecção e prevenção”, disse.

A abertura do evento foi realizada pelo coordenador estadual do Ministério da Saúde, Bartolomeu Martins, e pela gerente de Vigilância em Saúde da Sesa, Kelly Areal.

Programação

A capacitação em Vigilância da Toxoplasmose com ênfase na gestacional e congênita segue nesta quarta-feira (28).

Horário Atividades Responsável
8h30 Mesa redonda: Experiências na vigilância e assistência da toxoplasmose gestacional e congênita

Mediador: Tânia Mara Ribeiro dos Santos (NEAPRI – SESA)

– A realidade de MG – Dr.ª Glaucia (20 min)

– Experiências no município de Vitória – SEMUS Vitória (20 min)

– Experiências no município de Vila Velha (20 min)

– Debate

 
10h00 Toxoplasmose congênita/imunodeprimidos Sandra Fagundes/ Rafaela Altoé
11h00 A imunologia do teste de Avidez e o diagnóstico de toxoplasmose em saliva Drª Lilian Bahia Oliveira
12h00 Intervalo
13h30 Acesso ao tratamento medicamentoso para Toxoplasmose no ES Rosana Devens
14h00 Toxoplasmose ocular: diagnóstico e tratamento Drº Daniel Vitor V. Santos
15h Intervalo  
15h30 Mesa Redonda: Surto de Toxoplasmose

Mediadora: Drª Lilian Bahia Oliveira

– Etapas da investigação do surto – Gilton Almada

– A vigilância epidemiológica no surto de toxoplasmose – Rosa MS

– O papel do Lacen no surto de toxoplasmose – Lacen (bromatologia)

– Debate

 
  Entrega de certificados  
17h Encerramento

Deixe sua Opinião:

error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe