Trabalhadores dos Correios ameaçam entrar em greve no ES

Postado em 3 de setembro de 2019


Trabalhadores dos Correios ameaçam entrar em greve no ES, Em meio às discussões sobre a privatização dos Correios, anunciada pelo governo federal, trabalhadores da estatal ameaçam entrar em greve no Espírito Santo.

O motivo da paralisação, no entanto, segundo o sindicato que representa a categoria no Estado, é a briga por reajuste salarial. Os funcionários dos Correios pedem a reposição da inflação, o que representaria um aumento de 3,25%.

Trabalhadores dos Correios ameaçam entrar em greve no ES

Greve dos Correios em 2017

Outras reivindicações também fazem parte da pauta de uma assembleia convocada para esta terça-feira (03) pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Correios Prestadora de Serviços Postais, Telegráficos, Encomendas e Similares do Estado do Espírito Santo (Sintect-ES).

Segundo o presidente do sindicato, Fischer Moreira, que também é secretário de comunicação da Federação Nacional dos Trabalhadores em Correios, a estatal quer que o funcionário pague mais pelo plano de saúde. Atualmente, o trabalhador arca com 30% do valor do plano, mas empresa tenta, de acordo com Fischer, aumentar essa participação para uma quantidade entre 40% e 50%.

Ainda segundo o representante da categoria, os Correios também querem reduzir o ticket-alimentação de 30 para 21 dias. “Estamos tentando chegar a um consenso há mais de dois meses, mas não houve menor vontade por parte do governo de negociar. Nós não vemos outra saída que não seja parar a atividade já que não há conversa e nós queremos apenas a manutenção dos nossos direitos.”

ASSEMBLEIA

A assembleia desta terça-feira, que vai acontecer à noite, em Vitória, vai discutir a adesão ao movimento grevista, que é nacional. Se a categoria aderir à greve, os trabalhadores cruzarão os braços já a partir da 0h de quarta-feira (03). O presidente do sindicato, porém, vai sugerir que essa decisão seja adiada para o dia 10.

“Nós temos duas federações nacionais. Uma delas, a Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores dos Correios (Findect), marcou a assembleia para o dia 10. Queremos decidir também nesse dia para que toda a categoria no Brasil fique unida”, explica o presidente do Sintect, que é filiado à Federação Nacional dos Trabalhadores em Correios (Fentec).

Em agosto, o governo anunciou a privatização dos Correios e da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), entre várias outras estatais. Atualmente, os Correios têm mais de 1,7 mil funcionários no Espírito Santo, todos eles efetivos – em todo o Brasil são 115 mil.

Apesar da Codesa e dos Correios serem empresas públicas, elas possuem personalidade jurídica própria (CNPJ) e um regime de contratação diferente dos órgãos de administração direta, que são aqueles ligados diretamente ao chefe do Poder Executivo, como ministérios e secretarias. Por isso, seus empregados não possuem estabilidade no emprego.

Deixe sua Opinião:

error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe