error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe

Municípios capixabas aderem ao Programa SUS Digital do Ministério da Saúde


Municípios capixabas aderem ao Programa SUS Digital do Ministério da Saúde 1

 

Municípios do Espírito Santo estão se engajando na política de transformação digital por meio do Programa SUS Digital, uma iniciativa liderada pelo Ministério da Saúde. O propósito principal é aumentar a acessibilidade da população aos serviços e ações de saúde, promovendo a adoção de tecnologias emergentes dentro do Sistema Único de Saúde (SUS) e estimulando a capacitação contínua em saúde digital para os profissionais da área.

Dessa forma, o programa abrange áreas como telessaúde, teleassistência, telediagnóstico, teleducação, inovação, monitoramento e avaliação de dados, sistemas de informação, plataformas e desenvolvimento de aplicativos.

A ação conjunta entre a Secretaria da Saúde (Sesa), o Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi), o Colegiado de Secretários Municipais de Saúde do Espírito Santo (Cosems/ES) e a Superintendência Estadual do Ministério da Saúde no Espírito Santo mobilizou os 78 municípios e 100% deles aderiram à primeira etapa do programa, que prevê a elaboração dos Planos de Ação Saúde Digital por macrorregião de saúde.

O secretário de Estado da Saúde, Miguel Duarte, participou da coletiva do Ministério da Saúde, realizada nessa segunda-feira (08), em que um dos temas apresentados foi o avanço do SUS Digital.

“Compartilhamos a excelente notícia de adesão dos 78 municípios capixabas ao Programa SUS Digital. Essa iniciativa chega para beneficiar o cidadão, profissionais de saúde e gestores, e vai aumentar a acessibilidade dos serviços de saúde por meio da adoção de tecnologias, em parceria com instituições locais e regionais. Estamos elaborando os Planos de Ação Saúde Digital por macrorregião para alcançarmos uma saúde pública mais eficiente e acessível a todos”, pontuou Miguel Duarte.

Para o subsecretário de Estado de Planejamento e Transparência da Saúde, Francisco José Dias da Silva, o Programa SUS Digital traz uma perspectiva integradora em nível nacional e de avanços para o SUS no processo de transformação digital, a fim de incorporar novas tecnologias assistenciais e qualificar o acesso aos serviços e o atendimento ao usuário.

“Poderemos garantir maior aporte de recursos federais para implementar as ações já em desenvolvimento em telessaúde, gestão de informações estratégicas, informatização da rede ambulatorial e hospitalar, além de inovação em saúde e regulação, entre outras”, comemorou Francisco José Dias.

Outros objetivos do Programa SUS Digital dizem respeito à conscientização e ao engajamento para o tratamento adequado dos dados pelos atores do SUS, fomentando a cultura da saúde digital e a proteção de dados pessoais, além do fortalecimento da participação social e do protagonismo do cidadão na criação de soluções digitais inovadoras.

O diretor do ICEPi, Fabiano Ribeiro, reforça que a transformação digital vai além da incorporação de tecnologias, mas também diz respeito à mudança de cultura e de processos para solucionar os desafios do SUS. “Passar pela transformação é investir no futuro e fortalecer os princípios de universalidade, equidade e integralidade do sistema de saúde, proporcionando melhorias e inovação no cuidado e assistência aos usuários e ainda na gestão da saúde”, completou Fabiano Ribeiro.

A coordenadora do Apoio Institucional, Manuella Riquieri, detalhou que os profissionais do projeto, que fazem parte do ICEPi, e do Cosems/ES se reuniram com os municípios para orientar o processo de adesão e explicar os benefícios do Programa SUS Digital. “Os gestores compreendem a importância de mais esse avanço e estão empenhados em passar por cada etapa do programa para que possam alcançar resultados para a população capixaba”, explicou.

Entenda o programa

O Programa SUS Digital foi instituído pelas portarias nº 3.232 e nº 3.233, de 1º de março deste ano, pelo Ministério da Saúde. A iniciativa se aplica ao campo da saúde como um todo, pois inclui a atenção integral, a vigilância em saúde, a formação dos profissionais, a gestão do SUS em diferentes níveis e esferas, o planejamento, a pesquisa e a inovação.

Para o exercício do direito à atenção integral, é preciso criar estratégias para superar barreiras econômicas e sociais que ainda se interpõem entre os usuários e o sistema de serviços de saúde. Por isso, um dos focos da expansão da saúde digital é articular o atendimento especializado nos locais de difícil acesso, fomentando a articulação entre a atenção primária e secundária.

Mais informações sobre o SUS Digital: https://portalfns.saude.gov.br/instituicao-do-sus-digital/


error: O conteúdo está protegido !! Compartilhe